Brasil condecora Stewart Sukuma

0
44

Depois de Ungulani Ba Ka Khosa, Brasil, através da sua embaixada, condecorou, uma vez mais, o músico Stewart Sukuma.

A Medalha da Legião Paranaense do Expedicionário foi colocada, como forma de reconhecimento, a Stewart Sukuma pelo Embaixador do Brasil, Rodrigo Baena Soares. Trata-se de um reconhecimento que mostra que Brasil “curva-se” à produção musical do músico moçambicano. O principal pretexto dessa condecoração aponta que Sukuma é agente artístico que transmite valores culturais de Moçambique ao mundo.

“Constitui para mim uma verdadeira honra transmitir valores culturais de Moçambique ao mundo”, disse Sukuma. A condecoração teve lugar no passado dia 23 do mês em curso.

Stewart Sukuma realizou um espectáculo com interpretações ao seu estilo de diversos artistas e temas brasileiros, no Centro Cultural Brasil-Moçambique, no passado dia 25 de Outubro. A apresentação foi aberta ao público e constituiu um momento único para reviver os grandes célebres da Música Popular Brasileira – MPB.

Luís Pereira, conhecido como Stewart Sukuma é um cantor moçambicano. Seu nome artístico – Stewart Sukuma – significa ‘Levantar’ em Zulu e ‘Empurrar’ em suaíli. Nasceu em 1963, em Cuamba, província do Niassa em Moçambique . Vindo de uma família modesta, ele logo percebeu sua paixão pela música e em 1977 ele mudou-se para a capital Maputo, onde aprendeu a tocar violão, percussão e piano. Em 1982 ele juntou-se a um grupo de música como vocalista.

Em 1983 ele gravou uma canção para a estação de rádio nacional – Rádio Moçambique – e no mesmo ano foi agraciado com o prêmio nacional de melhor artista revelação. Suas músicas começaram a passar com frequência na rádio, e ele se tornou o “cantor do povo”. Ele eventualmente trabalhado com a banda Orquestra Marrabenta Star. Mais tarde ele mudou-se para a África do Sul, onde ele lançou seu álbum Afrikiti em 1995.

Além da Orquestra Marrabenta Star fez parte de vários projectos e bandas entre eles, Alambique como percussionista/vocal, Mbila como vocalista e Formação 82 como percussionista/vocal. Em 1998, Sukuma mudou-se para Boston, Massachusetts, onde ingressou na Berklee College of Music sendo o primeiro moçambicano a entrar nessa instituição.

Stewart já dividiu o palco com vários outros grandes artistas africanos como Angellique Kidjo, Ibrahim Abdullah, Oumou Sangare e Hugh Masekela . Desde 2009 tem digressões pela Europa e América Latina, apresentando em festivais como o Festival da Quaresma na Eslovénia, o Festival Kasumama na Áustria, o Festival der Kulturen na Alemanha, Tom de Festa e World Music festival em Portugal. No Brasil ele actuou no Itaú Cultural em São Paulo e no Flimar em Maceió. Na África do Sul participou do Cape Town International Jazz Festival.

Ele ganhou o prêmio Ngoma em 1983 e logo se tornou um dos cantores mais tocados nas rádios nacionais de Moçambique, sendo descrito como “o vocalista masculino mais popular de Moçambique. Suas obras principais incluem canções como Felisminha, Xitchuketa Marrabenta, Sumanga, cantadas em línguas que incluem o Português, Inglês, suaíli e Echwabo.

Refira-se que num passado muito recente, a embaixada do Brasil “curvou-se” ao escritor do “Ualalapi” com a Ordem de Rio Branco. Uma insígnia, considerada uma das mais importantes condecorações do Brasil.

Fonte: O País

Leave a Reply